Blog Eticca Compliance

Princípios básicos para uma cultura ética

Toda empresa anseia por uma cultura ética. Agora, se o principal líder da empresa ignora ou não dá a devida importância ao assunto, ele limitará as oportunidades de negócios não só para a empresa, mas para seus investidores e parceiros. É possível afirmar que uma cultura ética não garante sucesso financeiro, mas certamente adiciona um diferencial econômico à empresa, em última análise.
São muitas as variáveis necessárias para que se estabeleça uma cultura ética e para que ela sobreviva.
Vamos às mais importantes.
Comprometimento da liderança – Uma cultura ética começa pelo exemplo dos líderes corporativos. Se eles não tiverem atitudes e comportamentos éticos, ninguém terá. Junto com o comprometimento, no entanto, os líderes devem manter suas atitudes responsáveis e alinhadas aos valores éticos. Lideranças que se comprometem e conduzem as suas ações pelos princípios éticos da empresa são o princípio e o mais importante aspecto do processo.
Comunicação interna – A cultura ética da empresa depende da comunicação interna como ferramenta necessária para fomentar e divulgar os valores éticos, o treinamento dos funcionários, os informativos, entre outros. A comunicação interna é responsável também por motivar e incentivar os gerentes e funcionários a internalizarem a causa e o comprometimento corporativo com a ética e a conformidade.
Monitoramento da cultura e reportes periódicos – Assumindo que a empresa definiu a cultura ética como um de seus objetivos primários, é necessário dedicar recursos suficientes e definir prioridades para atender a essa cultura ética. Dois aspectos importantes desse processo: monitoramento periódico da cultura da empresa e reporte desses monitoramentos para os líderes corporativos, como um direcionador importante dos aspectos éticos e de conformidade. Se forem necessárias ações para fortalecer a cultura em uma área específica, os líderes corporativos precisam primeiramente saber dessa necessidade para então focar os esforços.
Intervenções proativas – A empresa precisa dedicar tempo e atenção suficientes para a sua cultura, de forma a planejar intervenções proativas para promover seus valores éticos na medida em que as mudanças aconteçam. Influências externas tais como oscilações econômicas e novos concorrentes devem ser levados em conta para que o comprometimento da liderança, as comunicações internas, as medições e reportes periódicos possam ser ajustados às mudanças circunstanciais.
Atitudes responsáveis – Uma cultura corporativa sem atitudes responsáveis está fadada ao ceticismo. Gerentes e empregados são sempre céticos quando precisam confiar em seus líderes e nos seus comprometimentos éticos. Situações que colocam em prova o comprometimento ético das lideranças acontecem o tempo todo. Se o líder não demostrar responsabilidade através de suas atitudes, os gerentes e empregados assumirão o comportamento cético e será muito difícil alterar posteriormente esse padrão. De maneira similar, se os gerentes e empregados não tiverem atitudes responsáveis tais quais seus líderes, a cultura ética da empresa cairá em descrédito e estará fadada ao fracasso. Atitudes responsáveis em todos os níveis da organização são como um princípio básico para a cultura ética.
LINKEDIN.COM | BY EDUARDO AMARAL

Tags:

Compartilhe: